Angela Leite apresenta novas obras no Café Colón

quarta-feira 07 de Dezembro de 2011, por Antonio Biondi
palavras-chave: angela leite; arte; biodiversidade; cachalote; desenho; ecologia; exposição; fauna; flora; gravura; jandaia; meio ambiente; tamanduá

A artista plástica Angela Leite irá apresentar em sua exposição de fim de ano no Café Colón três novas obras, sendo um desenho e duas xilogravuras. Os mais recentes trabalhos da autora retraram, respectivamente, as jandaias-de-testa-vermelha na caviúna-do-cerrado, o cachalote e os tamanduás-de-colete.

As obras reafirmam o compromisso da arte de Angela com a divulgação e defesa do meio ambiente no Brasil e no mundo. E, ao lado desse traço, realçam o trabalho meticuloso de pesquisa, técnica e execução desenvolvido por Angela em suas obras.

No desenho Jandaias-de-testa-vermelha na Caviúna-do-Cerrado (Aratinga auricapillus e Dalbergia miscolobium) a riqueza de detalhes combina-se de forma encantadora com a técnica do lápis-de-cor.

O desenho, nas dimensões de 31 x 73 cm (VxH) “registra um momento ímpar do nosso cerrado, e tem o intuito de sensibilizar as pessoas sobre os tesouros do bioma, tão ameaçado hoje”, segundo nos conta a artista.

Já a nova xilogravura do Cachalote (Physeter macrocephalus) chega para se somar à vasta e longeva produção da artista em defesa dos cetáceos nos mares e rios do planeta. Desde 1982, Angela produziu 15 xilogravuras desse grupo de espécies, além de diversos desenhos.

“Sempre quis produzir uma xilo do cachalote, um animal lindo e incrível, que está ameaçado de extinção, assim como todas as grandes baleias, pela exploração absurda de sua caça realizada pelos homens”. A xilo, com 15 x 70 cm (VxH), representa mais um capítulo do fascínio da autora por essa espécie em específico e pelas baleias em geral, registrado inclusive em textos da artista.

Por sua vez, a xilogravura dos Tamanduás-de-colete (Tamandua tetradactyla) é uma ode à   biodiversidade do cerrado brasileiro e à necessidade de sua preservação. O simpático e ameaçado mamífero aparece na xilo em um grupo de quatro espécimes. Neste retrato do bioma, também se fazem presentes a Copaíba, o Jatobá, a Caviúna-do-Cerrado, a Eritrina Mulungu, o Baru e a Sucupira-preta, magníficas representantes de sua flora.

A xilogravura dos tamanduás-de-colete apresenta tamanho grau de detalhes que sua reprodução na internet não permite que sejam apreendidas todas as minúcias presentes na obra, cujas dimensões são de 39,5 x 49 cm (VxH). “É mais um motivo para as pessoas visitarem a exposição”, conclui Angela Leite.

A exposição no Café Colón ocorre nos dias 8, 9 e 10 de dezembro (quinta, sexta e sábado desta semana), na praça Buenos Aires, 555, casa 2. Fica aberta das 9h às 18h na quinta e sexta. E das 9h às 13h no sábado.

Comentário (0) | Comente...

Fauna e flora brasileiras de volta ao Café Colón

terça-feira 07 de Dezembro de 2010, por Angela Leite
palavras-chave: angela leite; animais; arte; biodiversidade; desenho; ecologia; exposição; fauna; flora; gravura; meio ambiente

Olá, queridas amigas e amigos

Gostaria de vê-los em minha exposição de final de ano no Café Colón. Estarei com meus bichos e árvores, minhas gravuras, camisetas e cartões.

Em 2010, o ambiente hospitaleiro idealizado pelo amigo Toninho abre mais uma vez as portas para nosso reencontro.

Aguardam o visitante as iguarias (empadas e bolos) feitas pela mulher dele, a praça de Canelas e Jequitibás centenários que se avista da janela e o monte de flores viçosas logo ao entrar.

O endereço é Rua Alagoas, 555, casa 2, junto à Praça Buenos Aires.

Os dias são quinta-feira, 9 de dezembro; sábado, dia 11; e segunda, dia 13.

Na quinta e segunda o horário é das 11h às 19h. E sábado das 9h às 12h.

Qualquer dúvida, podem me escrever:

angelaleite.gravura@uol.com.br

Felicidades e um abraço,

Angela Leite

Comentário (1) | Comente...

Exposição na USP é prorrogada até quarta, 10

quarta-feira 03 de Junho de 2009, por Pedro
palavras-chave: arte; artes plásticas; biologia; brasil; desenho; ecologia; fauna; flora; gravura; meio ambiente; natureza; usp; xilogravura

Foi prorrogada até a quarta-feira, 10, a mostra “Trilha Natural Brasileira”. Nela, a artista plástica Angela Leite usa os elementos que caracterizam sua obra – excelência artística combinada a um rigor quase científico e a um olhar militante – para conduzir o visitante a um passeio por entre espécies de nossa fauna e nossa flora.

São 23 desenhos recentes e inéditos, a nanquim, a maioria em preto e branco. E 37 xilogravuras, representativas de suas quatro décadas de carreira (como esta ao lado – "Mocó", de 2007).

A exposição está no Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (IB-USP), em evento emblemático do crescente trabalho conjunto desenvolvido pela artista e pesquisadores da área. Na segunda-feira, 8, a artista estará no local das 17 às 22 horas para conversar com os visitantes sobre seu processo de trabalho.

Nascida em 1950 no Rio de Janeiro, Angela se dedica desde 1968 à arte em estreita ligação com o meio ambiente. Participou de cerca de 200 salões e exposições nacionais e internacionais e recebeu prêmios no país e no exterior. A militância também se dá por meio de palestras, oficinas, artigos e entrevistas em defesa da fauna e da flora, em especial as brasileiras.

“Angela pesquisa intensamente sobre seus objetos de trabalho, buscando a opinião de zoólogos, botânicos e ecólogos para dar mais vida a suas obras”, comenta o professor Miguel Trefaut, do Departamento de Zoologia do IB-USP. “Torna-as, assim, flagrantes instantâneos de cenas naturais de nossa rica biodiversidade”.

Outros depoimentos e análises sobre a obra e o engajamento da artista – entre eles, de Olívio Tavares de Araújo, Ibsen de Gusmão Câmara, Álvaro Machado, Carlos Von Schmidt, Aloysio Biondi, Antonio Carlos Abdalla, Olney Krüse e Paulo Vanzolini – podem ser conferidos neste site.

"Trilha Natural Brasileira" - de 27 de maio a 10 de junho. Entrada é gratuita. Aberta das 9 à 22 horas, de segunda a sexta.

Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo - Cidade Universitária

Rua do Matão, 277, Departamento de Botânica, Edifício André Dreyfus

Informações: (11) 3091-7543

Comentário (1) | Comente...

Gravuras em destaque no Terra Magazine

quarta-feira 04 de Março de 2009, por Pedro
palavras-chave: angela leite; arte; artes plásticas; gravura; meio ambiente; naturalistas; spix; von martius; xilogravura

O trabalho de Angela Leite foi tema, recentemente, de matéria na página eletrônica Terra Magazine. No texto, o jornalista Aloisio Milani destaca a resistência ao tempo como uma linha-mestra da obra de Angela. Nas xilogravuras ela imortaliza as espécies retratadas, segundo a leitura de Milani.

Angela afirma que a ênfase na gravura em madeira não se deu por acaso: “É interessante pensar que a técnica é capaz de reproduzir em grande quantidade o número de obras. Você multiplica a imagem da espécie que está perdendo indivíduos”.

Ela também comenta a pesquisa em torno de uma lagoa descrita pelos naturalistas alemães Carl von Martius e Johann Baptiste Spix em território brasileiro. E identifica a Conferência Mundial sobre o Meio Ambiente, em 1972, em Estocolmo, na Suécia, como um marco na difusão do debate sobre a preservação ambiental.

O texto pode ser lido no endereço http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,OI3604453-EI6581,00.html

 

 

Comentário (0) | Comente...

anterior próxima